Jogar e testar?

Olá!
Estou atrasado mas cheguei \o/

Estou montando um post de JavaScript e está sendo bem difícil deixar ele da forma que eu gostaria, por isso esse atraso do post. Está indo aos poucos mas ele está ganhando forma!

Para não aumentar ainda mais o hiato entre os posts, decidi fazer esse post sobre baseado em uma conversa que tive recentemente com um amigo. Após uma (longa) enrolação na introdução de o por que esse tema me interessa tanto, e de por que me sinto confortável em falar sobre jogos, vou abordar  alguns pontos em que jogos me ajudam na hora de pensar em cenários alternativos na hora dos testes, e como ter me tornado QA tem me ajudado também em jogos.

Um pouco sobre Minha relação com jogos:
Sim, sou apaixonado por jogo, principalmente jogos de tabuleiro e cartas (inclusive participei da criação de alguns jogos que infelizmente não foram lançados), mas normalmente para jogar jogos assim precisa de tempo, reunir amigos…. eu fico bastante com jogos de PC/vídeo-game.

E sempre tive uma característica nesses dois tipos de jogos, eu gosto de procurar defeitos e testar os limites dos jogos, afinal se os jogos podem testar os limites do jogadores, por que não fazer o contrário?

No processo de criação de jogos de cartas eu sempre procuro as brechas para criar a estratégia mais desleal que for possível, em jogos de tabuleiro sempre faço uma pergunta que não está no livro de regras e em jogos de vídeo game eu sempre tento criar aquela situação bizarra e ver o comportamento do jogo …. eu gosto dessas coisas (meus amigos que criam jogos e jogam comigo já se acostumaram com isso também rs)

Por que não quero ser tester de jogo?

Quando era criança, sempre sonhei em trabalhar jogando vídeo-game (quem nunca?), mas por incrível que pareça, nunca pensei nisso após me tornar QA, vocês conseguem imaginar o motivo?
Por que descobri que testar jogo, não é jogar. Ok, em alguns momentos da criação do jogo você vai ter que jogar, ver como o jogo flui, ver se é equilibrado, ver se é divertido… Mas é só uma parte dele. Mas maior parte do jogo  é tentar quebrar ele, esquecer dessas outras partes, o foco muda. Deixa de ser só diversão.

Mas jogar não é testar?

#DEPENDE

Lembro de um exemplo legal (não lembro dele exatamente, e de quem deu….por isso vou adaptar, desculpem) que se você pede pra 1000 jogadores testarem um jogo de vídeo-game, eles vão sair pela aventura, matar os monstros, chegar no chefe, e assim por diante… alguns vão achar erros durante a história, outros vão tentar passar sem derrotar ninguém, alguns vão achar alguns erros fora do padrão, mas quase nenhum (ou nenhum) vai por exemplo ficar pulando milhares de vezes no mesmo lugar segurando o botão de bloqueio pra ver se consegue quebrar os frames do jogo.

E muitas pessoas fazem isso depois que o jogo é lançado, tem uma galera que faz speed run (terminar o jogo em tempo recorde) que utiliza de glitches e bugs do gênero, existem exemplos bem legais no mario 64, mas um exemplo que gosto bastante é esse do POKEMON (e o vídeo é curto), me diga qual dos 1000 jogadores fariam isso? Inclusive duvido que muitos testers chegariam nesse cenário (eu não chegaria).

SpeedRun não é o foco do jogo, e muitos poucos jogadores se preocupam com isso, acredito que não deve ser o foco de quem está desenvolvendo os jogos.
A questão é, os jogos ficam aí eternamente, mesmo depois de anos os jogadores continuam tentando quebrar o jogo de alguma forma pra quebrar algum recorde.
Pode-se dizer que isso é testar ou jogar? Talvez não fiquem bem em nenhuma dessas definições.

Mas e daí?

Depois de tudo isso, vamos ao ponto que eu queria abordar… por que os jogos me influenciam nos testes?

Existem muitos tipos de jogos, com possibilidades limitadas (fases fechadas), com uma história linear que pode ou não mudar de acordo com as decisões do jogador, e os de mundo aberto, que esses podem ter infinitas missões (Skyrim por exemplo fica gerando missões infinitas),  mas independente do tipo de jogo, ele tem uma proposta, que é te desafiar constantemente.

Se você está falhando no jogo, você usa um continue e tenta de novo, e de novo …muda a forma de tentar até que uma hora você consegue passar. E mesmo depois de conseguir, o jogo continua lá te desafiando “será que você consegue de novo? Não foi só sorte?”, e você tenta mais uma vez pra provar que você entendeu como funciona.

Alguns jogos te forçam a se preparar e ficar ganhando experiência antes de enfrentar aquele chefe mais complicado.

Alguns jogos colocam Achievments pra te desafiar mais ainda “Você consegue terminar o jogo sem usar poção?”, “Você consegue terminar sem ser atingido nenhuma vez?” ou até “Você consegue achar os itens secretos do jogo”.

Alguns desafios estão lá de forma opcional, muitos vão simplesmente ignorar…mas eu não… eu vou tentar várias vezes.

E no final eu tento ver os testes como jogos, eu tenho uma missão pra concluir… vou passando de fase, ganhando experiência, conhecendo os controles… depois disso vou jogar as fases mais difíceis, e se eu não conseguir…. vou tentar de novo, de outra forma até conseguir…. e se concluir a fase, vou tentar conseguir os achievments (“Você usou a aplicação sem usar o Mouse”) existem várias formas de terminar o jogo, e vou tentar conseguir todas elas.

Acho que esse post (depois de editar o rascunho algumas vezes) se tornou algo mais como “Como trazer algo que eu gosto para o meu trabalho”, mas acho que isso é bem válido também… se você tiver alguma alavanca que possa usar no dia-a-dia, aproveite e use ela da melhor forma possível, se desafie pra não cair na rotina. Acho que já comentei anteriormente, mas acho muito legal pegar algo que aprendeu no trabalho e levar pra vida prática, assim como pegar algo que aprender na vida e levar pro trabalho, dessa forma os lados sempre vão melhorando um pouco.

E de bônus, quando alguém reclamar que você está jogando muito, você pode mostrar esse post e mostrar que está apenas desenvolvendo melhor sua habilidade de lidar com desafios repetidamente. Rs

achievement-unlocked-template.jpg
Pode agradecer depois.

Mas você não ia falar de como ser QA ajuda nos jogos?

Que bom que revisei o texto né?

Acho que essa parte é mais um OFF dentro do post, mas eu faço o caminho inverso do QA. Ao invés de pensar “O que o usuário vai pensar aqui” eu me questiono “O que será que o QA pensou aqui?” e entro mentalmente nesse jogo de poker cheio de blefes com o QA do jogo… e isso também me lembra que ele pode fazer isso em alguma aplicação que eu venha a testar.

Anúncios

3 comentários sobre “Jogar e testar?

  1. Ficou bacana seu post, Fui QA de jogos mobile na Glu Mobile por 5 anos e até hoje uso toda minha experiencia para testes de apps e softwares diversos. Hoje estou na RDI Software que é do grupo Mc Donald’s, e fui questionado na entrevista por ter trabalhado muito com jogos e pouco com software, usei exatamente a mesma abordarem do seu post e 10 minutos depois estava contratado rssssss. Abraços. Clailton.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s